Condenado por matar advogado é preso após escapar do semiaberto e passar anos foragido

0
10


Criminoso foi o responsável pela morte do advogado Sebastião Bezerra da Silva, em 2011. No momento da prisão ele apresentou documento falso para tentar escapar dos policias. Suspeito foi capturado pela Polícia Civil
Dicom/SSP-TO/Divulgação
Um homem de 31 anos foi preso pela Polícia Civil em Gurupi, no sul do estado, após passar anos fugindo da Justiça. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o criminoso foi o responsável pela morte do advogado Sebastião Bezerra da Silva, em 2011. Ele chegou a ser condenado e cumpriu alguns anos em regime fechado, mas ao passar para o semiaberto retirou a tornozeleira eletrônica e desapareceu.
O advogado foi morto em uma fazenda entre os municípios de Dueré e Gurupi no dia 27 de fevereiro de 2011. Na época o corpo foi localizado em uma cova rasa e a polícia chegou a dois irmãos, de 19 e 20 anos. Eles foram presos e confessaram ter cometido o crime para roubar a vítima.
Compartilhe essa notícia no WhatsApp
Compartilhe essa notícia no Telegram
Sebastião foi morto por asfixia, estrangulamento e também por golpes de pá na cabeça e demais partes do corpo. O advogado era um defensor dos direitos humanos conhecido em todo estado. Por isso o crime gerou muita revolta e comoção na época.
Após a condenação o criminoso identificado pelas iniciais R. J. G. ficou seis anos preso, mas conseguiu escapar após obter o direito de cumprir o restante da pena em regime semiaberto.
O juiz da Vara de Execuções Penais de Palmas determinou a regressão para ao regime fechado de prisão, mas o condenado ele ficou foragido até esta sexta-feira (14).
A prisão foi feita depois que o setor de inteligência da 7ª Delegacia Regional de Gurupi apurou que um homem de extrema periculosidade e condenado por homicídio estaria em Gurupi.
No momento da abordagem o condenado apresentou um RG falso com outro nome, mas foi identificado e preso. O mandado de prisão foi cumprido e ele também vai responder por uso de documento falso e falsa identidade.
A prisão foi feita por policiais da 3ª Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (3ª DHPP), com apoio de agentes da 8ª Divisão de Combate ao Crime Organizado (8ª DEIC) e da 12ª Central de Atendimento, sob o comando do delegado-regional Joadelson Rodrigues Albuquerque.
O condenado foi levado para a central de flagrantes e será encaminhado à Casa de Prisão Provisória de Gurupi, onde dará continuidade ao cumprimento do restante da pena.
Ele não teve o nome divulgado e por isso não foi possível localizar a defesa até última atualização desta reportagem.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins